Amamentação prolongada: minha filha ainda mama com 2 anos e 4 meses

Oie mamães que acompanham o Clube MamãeBox, tudo bem?

Hj venho contar um pouco da minha experiência com a amamentação para vocês. Resolvi falar pois minha filha mama até hoje, com 2 anos e 4 meses, bastante tempo, não é ? E confesso que ainda não consegui me preparar para o tal do desmame. Ela simplesmente ama mamar e eu também. O vínculo é enorme, não sei nem explicar. Claro que ela só mama mesmo antes de dormir, assim mesmo muito rapidinho, um aconchego apenas e ela já dorme. O nome já diz o que é, né, AMAmentar 😉

Desde que engravidei já havia decidido sim pela amamentação exclusiva por 6 meses, que iria amamentar minha filha com certeza. Faria de tudo e assim o fiz para seguir em frente com a amamentação.

K nasceu e nos primeiros momentos de vida da minha pequena, a obstetra a colocou no meu colo e em seguida iniciamos os trabalhos e aprendizados da amamentação.  No início não é fácil, não mesmo. A questão da pega correta, o aprendizado mãe e filha mesmo. Eu chamava a todo instante enfermeira para me ajudar, verificar se estava tudo certinho, se eu estava fazendo certo, se a pega estava correta. Tive total apoio e incentivo à amamentação o tempo inteiro na Maternidade, da minha família e meu marido. K nasceu na Perinatal Barra, no Rio de Janeiro, que por sinal, é uma excelente maternidade.

Essa questão da amamentação natural é realmente um aprendizado e exige muita paciência e persistência. Se descuidarmos, devido a toda dificuldade inicial, desconfortos, muitas vezes até falta de apoio, de informação, a mãe pode desistir. Mas, enfim, as primeiras mamadas são desconfortáveis sim, mãe e filho estão se encontrando, se conhecendo, aprendendo, e é importante que a mãe não desista e insista. 

Voltando à maternidade, após estes primeiros dias na maternidade, fomos para a casa e continuamos com cuidado e persistência na amamentação de 3 em 3 horas. Eu anotava tudo em um caderninho que separei para a amamentação, registrando as mamadas, lado direito, horário, lado esquerdo início e término … (não conhecia o app Mãe Coruja, se o conhecesse, teria usado com certeza e super indico mamães https://itunes.apple.com/br/app/mae-coruja/id828519395?mt=8  ele auxilia com diversos registros do bebê, amamentação, sono etc).

aplicativo para maternidade

Muitas vezes, o tempo da mamada era menor que de 3 em 3 horas, às vezes 2 em 2h, quase realmente livre demanda. Depois, já estava em livre demanda. Era o tempo todo… Rs, mas já adaptadas.

Agora, Rs, voltando aos primeiros momentos e primeiros dias … aos pouquinhos fomos nos adaptando, encontrando uma maneira confortável para minha pequena mamar e para eu amamentar.

Esta dificuldade é especialmente comum nos primeiros dias da amamentação, porque o recém-nascido sente muita fome e precisa ser alimentado praticamente o tempo todo. Por isso, ao abocanhar o seio, ele pode estar ansioso. Nossa, minha filha ficava desesperada para mamar, agarrava o peito com vontade Rs. Além disso, a boca do recém-nascido ainda é pequena. Mas tudo isso tem solução, pois a Mãe Natureza fez os bebês e fez também os nossos seios para alimentá-los, é o previsto e o que é o mais natural e não para que sigamos com dor ou desconforto. É questão de tempo, e precisamos apenas ajudar o nosso bebê a abocanhar o seio da forma correta, voltando a questão da pega correta. (Depois farei um post com referências sobre a Pega correta para a amamentação).

Então, o grande desafio que encontramos, especialmente nos primeiros dias da amamentação, é a sensibilidade dos mamilos.
O bico do seio pode ficar avermelhado, dolorido, ou até mesmo rachado. Sim, a dor inicial (pelo menos pra mim) foi enorme, não chegou a sangrar (em alguns casos ocorre mesmo), mas tive um pouco de fissura no início, muita dor mesmo, parecia que K estava mordendo o bico do seio … mas, para auxiliar nas mamadas, após cada mamada, usava duas pomadas que aliviavam e ajudavam a continuidade da amamentação até que os bicos ficassem firmes e fortes para seguirem na amamentação sem dor e bem tranquila (foi o que aconteceu e é o que acontece). Então as pomadas tem a função de auxiliar e a acalmar a região e não deixar fissurar, reduzindo a dor e a sensibilidade enorme que tem no inicio.

Usei duas pomadas: 1- Lansinoh e 2- MotherLove

Intercalava as duas. Recomendo as duas sem problema algum para o bebê. Usei nos primeiros dias, pelo menos se não me engano e está me faltando a memória, durante uns 15 dias, depois disso, pelo menos eu, não precisei mais, pois meus seios foram se adaptando à amamentação, melhorando bem as dores, passando e não mais rachando etc.

Conheça um pouco sobre cada Pomada:

– “Lansinoh” (Creme de Lanolina) ou equivalente, produto de lanolina modificada. A lanolina é hidratante e cicatrizante.

Lansinoh

– “Motherlove” Creme para mamilos – natural, com óleo de oliva e calêndula.

motherlove
Existem mais alguns produtos naturais disponíveis no mercado, mas estou recomendando os que eu mesma utilizei com sucesso.

Com o tempo as dores irão reduzir, os mamilos ficarão menos doloridos. Cuidando direitinho e com o tempo, não haverá mais dor ou desconforto.

Talvez você precise utilizar também um protetor mamário, ou “absorvente de seio”. A função principal desse produto é absorver o leite que “vazar” quando você não está amamentando, e evitar o desconforto da fricção do mamilo dolorido contra a roupa. Nossa, é horrível mesmo, não dá nem para encostar nada. Ui. No início é brabo. No caso de “leite vazando”, troque os protetores com frequência, para que seus mamilos possam “respirar”. Nos primeiros dias em casa é melhor até deixar os seios completamente descobertos, para que os mamilos se recuperem mais rapidamente. Fiz muito isso! 😉

Outro remédio natural é o próprio leite. Após amamentar, passe um pouco do seu próprio leite no bico do seio para hidratação. Ajuda a cicatrizar também.

E, converse, tire suas dúvidas com o seu médico, com o pediatra do bebê.

Passada esta fase inicial, já estamos com 2 anos e 4 meses de amamentação. Claro que K já come de tudo, óbvio, tem toda a rotina organizada, mas tem o seu horário da mamada e seguimos com a amamentação prolongada. O vínculo é muito forte !!!

O ministério da Saúde orienta a amamentação exclusiva por 6 meses e complementar até os 2 anos. No meu caso, não pensava em seguir com a amamentação complementar por mais do que 12 meses. Na realidade não sabia como seria. Fomos seguindo em frente. Achava que K, após a introdução dos alimentos, etc, com sua rotina organizada, deixaria o peito, mas não foi o caso, também não estimulei o desmame e seguimos até hoje. É perfeito, mas confesso que vai ficando cansativo, natural, e no nosso caso, tem um pequeno agravante, tem horas que K quer mamar na madrugada…. ui, respiro e vamos que vamos, mas viro zumbi …

Mas, faz parte, e acredito que chegará o momento certo que deixaremos a amamentação.

Super apoio e incentivo a amamentação exclusiva e prolongada. Só tem benefícios!!!

E, por aí, como foi mamães? Alguma mamãe também seguiu na amamentação prolongada? Como foi o momento do desmame, ocorreu naturalmente? Compartilhe a sua experiência neste post conosco.

Um beijo com carinho.

Karin Saavedra, CEO do Clube MamãeBox e mãe da K

Karin CEO MAMÃEBOX

 


Deixe seu comentário

Blog MamãeBox

Graças ao Clube MamãeBox, esse problema de comprar tudo sem necessidade está resolvido. Gastar muito dinheiro com produtos que podem não funcionar com você, com produtos desnecessários não irá mais acontecer se tornando sócio do clube e mais, todo mês você receberá uma caixinha surpresa MamãeBox com muito carinho na comodidade da sua casa.

Cadastre-se e Ganhe!

Ganhe agora mesmo 10% de desconto no Clube MamãeBox se cadastrando na nossa newsletter. Aproveite!
Nome
E-mail
Respeitamos sua privacidade e somos contra a prática de spam.