52% das mortes de crianças de 1 a 9 anos, o afogamento, acontecem em piscinas

No Brasil, o afogamento é a segunda maior causa de mortes de crianças, morte acidental infantil (de 0 a 14 anos), a cada dois dias, uma criança morre afogada (SOBRASA, 2019), a maioria dos casos acontecem nas piscinas, e se tornam ainda mais comuns em feriados prolongados.

A pediatra e educadora parental, Dra. Loretta Campos, comenta sobre o assunto: “é muito comum em feriados de carnaval acidentes de afogamento, em piscinas, lagos, praia.

É importante ter um olhar muito atento na criança pois aumenta o risco de afogamentos, mesmo com muitas pessoas no ambiente, 70% dos afogamentos acontecem do lado do adulto, por isso é extremamente importante ter um responsável com um olhar mais atento”.

Parece um simples feriado, mas com tanta folia, torna-se mais complicado para os pais que querem aproveitar o carnaval com seus pequeninos.

Dra. Loretta orienta: “evitar multidões seria o ideal, pois não é um ambiente muito adequado, o melhor  são os bloquinhos próprios para crianças, mas caso estejam nessa situação, é preciso redobrar a atenção para não perde-los. Sempre bom conversar com a criança, combinar um ponto de encontro caso aconteça desencontros”, e complementa, “colocar uma identificação na criança com telefone e nome dos pais, é imprescindível”.

Outro ponto, são as viagens, por ser carnaval, as famílias escolhem sair da cidade, ir à hotéis, resorts, parques… e acabam esquecendo a rotina dos pequenos. A falta de sono, a alimentação desregrada, pode deixá-los irritados, “é importante manter a rotina dessa criança, respeitando os horários das sonecas, alimentação e brincadeiras”.

Para os pais de pré-adolescentes ou já adolescentes, a Dra. Loretta dá dicas específicas: “converse sobre bebidas, drogas, pessoas mal-intencionadas, roubos… por mais que seja uma orientação óbvia, é necessário que seja reforçado toda vez que estejam expostos a esses perigos”.

Dra. Loretta Campos: Pediatra e Consultora de Aleitamento Materno – Pediatra pela Universidade de São Paulo (USP), Consultora Internacional em Aleitamento Materno (IBCLC), Consultora do sono, Educadora Parental pela Discipline Positive Association e membro das Sociedades Goiana e Brasileira de Pediatria. A médica aborda temas sobre aleitamento materno com ênfase na área comportamental da criança e parentalidade positiva.

Siga o @mamaebox também no www.instagram.com/mamaebox


Deixe seu comentário