A importância do bem-estar emocional durante a gravidez

O bem-estar emocional durante a gravidez é primordial para a saúde da mãe e do bebê

A gestação é um período muito importante, o início de uma nova vida para a mulher, cheio de aprendizados e atenção. É essencial que, além dos cuidados com a alimentação e o corpo, a mulher mantenha o bem-estar emocional equilibrado durante a gravidez para que, assim, proporcione saudabilidade à criança e se previna de futuros contratempos psicológicos, como a depressão pós-parto. Dessa forma, a MAM Baby, marca especialista em bebês, e a psicóloga perinatal parceira Deise Neumann orientam os pais sobre a importância do bem-estar emocional durante a gestação e o puerpério.

Hoje o estresse e a ansiedade estão cada vez mais presentes na vida do ser humano, e não é diferente para as gestantes e mães de primeira viagem. Existem estudos, como os apresentados na conferência da American Thoracic Society, em Toronto, que apontam que a ansiedade em grávidas pode afetar o desenvolvimento do bebê, provocar parto prematuro e até mesmo enfermidades à criança. “O feto é sensível às experiências maternas, ele pode ‘sentir’ as sensações ocasionadas, por exemplo, por uma descarga de cortisol na corrente sanguínea da mãe, mas ainda não se pode afirmar nada sobre seus efeitos”, diz Deise. 

Há momentos desafiadores, que estimulam a ansiedade das mães, como é o caso do puerpério, período de 45 a 60 dias em que o corpo volta ao estágio pré-gravídico, e os órgãos internos retomam ao tamanho normal. O planejamento e a adequação à nova realidade parental também podem causar conflitos na mente da mulher, que não se sente inteiramente preparada para a nova responsabilidade. Por isso, é imprescindível que, desde o começo da gestação, ela faça acompanhamento com um psicólogo, para voltar a sentir-se confiante e segura ao tomar decisões que envolvem uma nova vida.

“Pesquisas têm indicado que muitos casos de depressão podem ter tido início durante a gestação e não ter sido previamente identificados, diagnosticados e acompanhados. Por isso, certamente, o acompanhamento psicoterápico contribui para o autoconhecimento, e isso é um ganho enorme, pensando na maternidade como um momento em que a mulher pode rever posicionamentos, valores e ideais de vida. As práticas de meditação, relaxamento, leitura e exercícios físicos também contribuem para o cuidado consigo mesma”, diz Deise.

E, além dos cuidados com o bem-estar emocional, o cuidado com a alimentação e a saudabilidade do organismo são essenciais para o equilíbrio mental e corporal. Por isso, são recomendadas as visitas ao obstetra para acompanhar a saúde e o bem-estar físico da mãe e do bebê, além de um nutricionista para uma dieta balanceada. “A maternidade inaugura muitas mudanças, e elas podem ser bem mais leves quando amparadas”, recomenda Deise.

Siga @mamaebox em www.instagram.com/mamaebox

 


Deixe seu comentário