Amamentação aumenta o laço afetivo entre a mãe e o filho

Dr. Paulo Telles, Pediatra e Neonatologista, compartilhou informações super valiosas sobre como a amamentação aumenta o laço afetivo entre a mãe e o filho, com muita sensibilidade. Confiram!

Sabemos que esse é um assunto de eterna discussão entre nós mães e sempre aparece em grupos de Whatsapp e conversas com amigas. E claro, sabemos também que muitas de nós realmente temos dificuldade nesse processo.

Post por: Just Real Moms

Mas hoje o objetivo do post é focar nos benefícios, ok? Explicarmos como a amamentação aumenta o laço afetivo entre a mãe e o filho. Esperamos que gostem!


A amamentação é um dos momentos mais importantes para aumentar o laço afetivo entre a mãe e o filho, com grandes benefícios para ambos.

Devemos sempre estimular e se possível oferecer o leite materno na primeira hora de vida, a hora de ouro. Isso trará benefícios para mãe e pra o bebê. A amamentação aumenta o laço afetivo entre a mãe e o filho.

O leite materno tem fator protetor contra algumas doenças, ajuda a formação correta dos dentes e problemas na fala. Adicionalmente, ele proporciona melhor desenvolvimento e crescimento, e é o alimento mais completo que um bebê pode receber desde o seu nascimento.

Principalmente em países em desenvolvimento, como o Brasil, amamentar ajuda na diminuição da mortalidade infantil.

Os principais benefícios para o bebê incluem:

  • Maior contato com a mãe
  • Melhora a digestão e minimiza as cólicas
  • Desenvolve a inteligência quanto maior o tempo de amamentação
  • Reduz o risco de doenças alérgicas
  • Diminui as chances de desenvolver doença de Crohn e linfoma
  • Estimula e fortalece a arcada dentária
  • Previne contra doenças contagiosas, como a diarreia

Para a mãe:

  • Diminui o sangramento no pós-parto
  • Reduz a incidência de câncer de mama, ovário e endométrio
  • Ajuda a diminuir risco de osteoporose
  • Protege contra doenças cardiovasculares, como o infarto

Temos sempre que incentivar o aleitamento, mas, gosto muito de falar que cada situação é única.

Cada mãe carrega uma história, algumas vezes com cirurgias prévias na mama, alguma doença que a impossibilite de amamentar, pode ter diferentes mamilos q dificultam ou facilitam, maior ou menos sensibilidade e dor.

Sem falar no lado emocional, como blues, depressão pós parto, entre tantas outras dificuldades que não permitam o aleitamento.

Por isso, sempre digo temos que incentivar ao máximo o aleitamento, ajudar, criar um grupo de suporte, com pediatra, obstetra, enfermeira de amamentação, família toda, mas jamais criticar, sempre ouvir as demandas, as angústias da mãe.

Menos julgamento e mais acolhimento os fatores que irão ajudar seu filho a se desenvolver são muitos, e as fórmulas atualmente são muito boas!

Por fim, amamentar é um ato de amor, mas nunca se esqueçam que nem só do seio vem o amor, Mãe!


Sobre 0 Dr. Paulo Nardy Telles

Instagram: @paulotelles CRM: 109556

Esposo, Pai do Léo e da Nina, Pediatra e Neonatologista pela Sociedade Brasileira de Pediatria.

  • Formado pela Faculdade de medicina do ABC
  • Residência médica em pediatra e neonatologia pela Faculdade de medicina da USP
  • Preceptoria em Neonatologia pelo hospital Universitário da USP
  • Título de Especialista em Pediatria pela SBP
  • Título de Especialista em Neonatologia pela SBP
  • Atuou como Pediatra e Neonatologista no hospital israelita Albert Einstein 2008-2012
  • 18 anos atuando em sua clínica particular de pediatria, puericultura

Fonte do Conteúdo Original: Just Real Moms

Siga @mamaebox no www.instagram.com/mamaebox

Você pode ter frete grátis e promoções exclusivas ao se tornar um membro Prime Amazon! Inscreva-se e ganhe 30 dias grátis CLICANDO AQUI. A assinatura é de apenas R$ 9,90 por mês e também garante entrega mais rápida, acesso a filmes, séries e desenhos animados. Assine 30 dias grátis!


Deixe seu comentário