Gravidez e a importância do exercício

Com a crescente procura pela prática por atividades físicas, as gestantes necessitam de uma atenção e orientação específica quanto aos riscos e benefícios da prática, durante o momento da gravidez.

Praticamente todas as mulheres apresentam algum desconforto no corpo durante a gravidez, o mais comum é a lombalgia.

A mudança do centro de gravidade, a rotação da pelve, o aumento da lordose lombar e o aumento da elasticidade ligamentar são os principais responsáveis pelos sintomas.

A literatura científica e inúmeras pesquisas, já demonstraram que um programa de treino realizado três vezes por semana durante a segunda metade da gravidez, pode colaborar na redução da intensidade das dores lombares, aumentando também a flexibilidade da coluna.

Apesar de não terem muitos estudos ainda na área, exercícios de fortalecimento muscular de intensidade leve a moderada podem promover melhora na resistência de flexibilidade muscular, sem aumento no risco de lesões, complicações na gestação ou relativas ao peso do feto ao nascer.

Sendo assim, a mulher passa a suportar melhor o aumento de peso e atenua as alterações posturais decorrentes desse período.

As atividades aeróbicas auxiliam de forma significativa no controle de peso e na manutenção do condicionamento, além de reduzir riscos de diabetes gestacional, condição de saúde que afeta ao menos 5% das gestantes.

A ativação dos grandes grupos musculares propicia uma melhor utilização da glicose e aumenta simultaneamente a sensibilidade à insulina.

Além disso, a manutenção da prática regular de exercícios físicos ou esportes, apresenta fatores protetores sobre a saúde mental e emocional da mulher durante e depois da gravidez.

Alguns estudos apresentam dados de que a prática durante a gravidez exerce uma proteção contra a depressão pós-parto.

Alguns exercícios são muito importantes e não podem faltar em um treino para gestantes, os mais indicados são os exercícios para a musculatura pélvica, os benefícios deles são unânimes em todos os estudos sobre o assunto, pois servem como forma de prevenção à incontinência urinária.

Um exercício que pode ser realizado em casa e é totalmente seguro, é a BÁSCULA PÉLVICA: de pé, com os joelhos semi-flexionados, coloque as mãos na cintura, inspire, puxando o ar pelo nariz, e faça o movimento de projetar a pelve para a frente, como se quisesse esconder o bumbum.

Ao expirar, soltando o ar pela boca, leve a pelve para trás, arrebitando os glúteos.

Kamila Mafra
Profissional de Educação Física e Consultora da Curves
CREF 015534-G/SC

www.curves.com.br


Deixe seu comentário