Língua presa tem consequências na amamentação, na fala, na respiração e até no beijo na boca

Língua presa tem consequências na amamentação, na fala, na respiração e até no beijo na boca

 “Minha Pátria é minha Língua”. Muito além do contexto de Fernando Pessoa, o desconhecimento a respeito das implicações da alteração do freio da língua é universal. Conhecido tecnicamente como frênulo alteradoe popularmente como “língua presa”, esta alteração(anquiloglossia) avança sobre funções essenciais do indivíduo, seu desenvolvimento físico, emocional e social,desde o nascimento e por todos os ciclos da vida.

“Todo mundo beija (ou deveria) e isso faz bem para o corpo e a mente.Ter a língua presa dificulta e interfere muito nas nossas relações, sexuais inclusive. Claro que não se resume a isso, mas não deixa de ser um elemento social importante, assim como outras funções fundamentais, como é o caso da amamentação”, diz a fonoaudióloga vice-presidente da Associação Brasileira de Motricidade Oforacial (ABRAMO), Irene Marchesan.

Recuperar as funções orais básicas ajuda o indivíduo a ter seu desenvolvimento e qualidade de vida completos – veja informações complementares neste INFOGRÁFICO. O frênulo alterado é uma anomalia que já está presente ao nascimento ocorrendo quando uma pequena porção de tecido embrionário, que deveria ter sofrido apoptose (morte celular programada) durante o desenvolvimento, permanece na face inferior da língua, restringindo seus movimentos. A alteração prejudica as funções orais, como alimentação (mastigação, deglutição, sucção), respiração e fala. 

O tratamento do frênulo alterado consiste em uma simples cirurgia. São dois tipos de procedimentos: frenotomia, quando é dado um corte/pique no frênulo (realizado em recém-nascidos), e frenectomia, quando retira o frênulo, podendo haver necessidade de ponto cirúrgico (mais comum em crianças maiores, adolescentes e em adultos). A cirurgia deve ser realizada por um odontólogo ou médico.

No dia 17 de fevereiro, Dia Mundial da Motricidade Orofacial, foram realizadas atividades de conscientização para o público leigo, numa iniciativa da Associação Brasileira de Motricidade Orofacial (ABRAMO), em sintonia com outras entidades coirmãs da América Latina, Europa, e Estados Unidos. “Em todo mundo, o mote de divulgação das ações foi ‘Língua Presa, Funções Orofaciais Prejudicadas’, evidenciando que o fonoaudiólogo especialista em motricidade orofacial poderealizar o diagnóstico clínico da alteração e seu impacto nas funções, trabalhando em parceria com uma equipe multidisciplinar”, explica Adriana Tessitore, Presidente da ABRAMO.

Beijo e usos diversos da língua

A limitação dos movimentos da língua, além da amamentação, é extremamente prejudicial na sociabilização no trabalho, principalmente para aqueles que lidam diretamente com o público, nas interações pessoais e de incontáveis formas nas relações com parceiros, inclusive sexuais. “Para homens e mulheres com frênulo alterado, o beijo é uma das queixas mais comuns. Depois do procedimento cirúrgico, que é muito simples, a qualidade de vida destes pacientes melhora significativamente. A relação com o parceiro muda da água para o vinho”, explica a fonoaudióloga.

Alimentação e respiração

A língua começa a formar-se a partir da quarta semana de gestação. Alteração do freio, membrana que fica na face inferior da língua, pode restringir em diferentes graus seus movimentos. Estudos realizados por fonoaudiólogos brasileiros e por especialistas internacionais apontam para a relação direta da alteração do frênulo da língua com as dificuldades na alimentação, pois interfere nos processos de sucção, mastigação e deglutição. 

Na amamentação, a falta de mobilidade da língua reduzirá a eficiência da sucção no neonato, que aplicará mais força e impedirá o ritmo correto das mamadas. Ainda que seja capaz de mamar, será fatigante e, principalmente, ineficiente, pois terá necessidade de ser amamentado com maior frequência.

A detecção precoce desta alteração, bem como o procedimento cirúrgico, deve ocorrer ainda na maternidade, 48 horas após o parto ou, no reteste, quando houver dúvida, 30 dias após o nascimento. O frênulo alterado em bebês pode ocasionar o desmame precoce e a perda de peso da criança. 

“O teste da linguinha(¹), protocolo desenvolvido no Brasil e hoje é adotado em diversos países, visa evitar a alimentação inadequada e, consequentemente, todo o desenvolvimento da criança, até mesmo no processo da fala”, explica Irene. A recomendação do procedimento em recém-nascidos também tem respaldo internacional. A Sociedade Japonesa de Pediatria (²) aponta evidências de que a frenotomia melhora as dificuldades de amamentação em lactentes com anquiloglossia.

Apneia obstrutiva do sono

A relação entre o frênulo alterado e os problemas do sono ainda está sendo investigada. Mas dois importantes artigos publicados recentemente pelo médico Christian Guilleminault (³), da Divisão de Medicina do Sono da Universidade de Stanford, indicam fortemente para essa possibilidade.

Fala

Um som é criado como resultado de vários movimentos da língua e outros órgãos, assim como da respiração. A língua é um dos elementos móveis do sistema de articulação, e toda mobilidade da língua é necessária para produzir sons corretamente. Na alteração de fala, todas as interferências devem ser avaliadas, dentre elas, o frênulo lingual. Diagnosticada corretamente, aconduta terapêuticaserámais assertiva. 

A alteração do frênulo é genética e acomete mais homens do que mulheres. No caso da fala, estudos realizados em diversos países identificam problemas idênticos. As principais alterações nos sons das palavras (fonemas) são as pronúncias das letras “R”, “L”, “T”, “D” e “S”. “Recebemos estudos de colegas de todo mundo e a alteração no frênulo da língua compromete da mesma forma a pronúncia destas consoantes, em diferentes populações e idiomas”, explica Irene Marchesan. 

Embora a cirurgia ajude a corrigir as disfunções relacionadas à fala e, posteriormente, a terapia com fonoaudiólogo seja imprescindível, em adultos as dificuldades na produção dos sons da fala ainda permanecerão. “Há uma melhora significativa dos movimentos da língua após a cirurgia, mas a fala do paciente adulto não melhora por si só, porque ele criou um padrão motor cerebral difícil de ser modificado, e que persistirá, ainda que em um grau muito menor”, explica Irene. Por outro lado, a cirurgia em recém-nascidos, na maternidade, ajuda no processo inicialdo padrão cerebral, com ganhos motores desde o balbucio até o final da aquisição da fala. 

A fonoaudióloga explica ainda que não são indicadosexercícios para “movimentar” a língua como método corretivo, seja antes ou após a cirurgia. A terapia realizada por fonoaudiólogos consiste no restabelecimento adequado das funções orofaciais após o procedimento. Essa intervenção tem ganhos significativos na produção da fala, assim como na alimentação, respiração e em toda a cadeia que proporciona uma melhor qualidade de vida ao paciente.

Sobre a ABRAMO

A ABRAMO é uma associação civil sem fins lucrativos, nascida da iniciativa de um grupo pioneiro de profissionais da fonoaudiologia. Seus objetivos são a promoção da Motricidade Orofacial no Brasil por meio de ações sociais de divulgação do tema, encontros nacionais e internacionais, congressos e cursos específicos da área. A Associação também promove e incentiva pesquisas relativas a temas de interesse da especialidade e funciona como base para o ensino aos cursos de graduação em fonoaudiologia e pós-graduação na área da Motricidade Orofacial e afins.

Site: http://www.abramofono.com.br

Infográfico:http://www.baruco.com.br/blog/abramo_infografico_2017.pdf

Redes Sociais: www.facebook.com/Abramofono


Deixe seu comentário