Maternidade in Box – A escolha de onde parir

Logo depois que passa a empolgação ou o susto da descoberta da gravidez, as mulheres começam a ter que se preocupar com várias coisas. Uma delas é onde e como parir.

Não existe uma receita de bolo pronta de qual a melhor forma ou pior, o melhor lugar ou as melhores condições e muitas vezes também dependemos bastante das questões financeiras.

A primeira coisa é optar pelo parto natural, normal ou cesariana. Como assim? Parto natural e parto normal? Pois é, tem uma diferença. Claro que eu não sou especialista para apontar todas as diferenças mas resumidamente:

Parto natural – o parto natural é livre de procedimentos como anestesia, episiotomia (corte na região região do períneo para aumentar o canal de parto)  ou indução (uso da ocitocina sintética para aumentar as contrações – e que acaba amentando as dores). Ele pode ser realizado por um médico, uma doula ou uma parteira. Pode ser na sua casa, num hospital em uma sala de parto ou numa casa de parto.

Parto Normal – o parto normal é aquele tradicional, acompanhado pelo médico, com procedimentos como anestesia, episiotomia ou indução. Ele é realizado no hospital em uma sala de parto.

Cesariana – a cesariana não é um parto, apesar de hoje muitos chamarem de parto cesárea. Na verdade ela é uma cirurgia, só pode ser realizada em hospital, normalmente com data e hora marcada previamente (a não ser que seja emergência), em uma sala de cirurgia. É feito um corte no ventre e o bebê é retirado pela barriga.

As diferenças são gritantes entre cada uma das possibilidades, por isso cabe a mulher (e somente a ela) decidir qual a forma que quer para o nascimento do seu filho.

Depois de decidir, escolha um médico para acompanhar seu pré natal que faça o parto da forma como você quer.  E ai passe para a próxima etapa que é escolher onde você quer que seu bebê nasça. Se a opção for por parto normal ou cesariana, pesquise os hospitais onde seu médico atende e que sejam conveniados com o seu seguro saúde.

Vale a pena conhecer o ambiente antes, saber os procedimentos, o que fazer em casos de emergência. Isso deixa a gente bem mais tranquila. Faça isso com tempo. Essa é uma dica que vale ouro. Eu conheci o hospital em que o Pedro Henrique nasceu duas semanas antes. Isso porque ele se antecipou em quase um mês. Quando cheguei lá, sozinha, com a bolsa estourada, as 4 da manhã, saber onde ir e com quem falar foi um alívio e me deixou bem mais tranquila.

Se você optar pelo parto natural e quiser ter seu filho em casa, procure uma doula para lhe ajudar em todos os preparativos. Ou se você quiser, também pode optar por uma casa de parto (infelizmente nem todas as cidades contam com essas casas, a maioria está concentrada nas grandes capitais).

Não se esqueça: Cabe só a você decidir como quer que seja o nascimento do seu filho. E nenhum médico ou hospital pode lhe obrigar a ser de outra forma!

Luísa Aranha

Jornalista

www.mamaeneura.com

 


Deixe seu comentário