Enxoval e as inutilidades – Maternidade in Box

Ando num período de arrumações.  Arrumando guarda roupas, armários, colocando coisas foras  e fazendo a limpa nas gavetas e inutilidade.

Tudo isso porque em breve nos mudaremos para o outro lado do país e levaremos, literalmente só a roupa do corpo e as coisas do Pedro Henrique, é claro.

E foi nos armários e guardados dele que me deparei com a maior quantidade de tralhas possíveis. Coisas que ganhamos, compramos e algumas nunca usamos.  E olha que eu fui extremamente minimalista no enxoval. Agora que ele está com um ano, vejo quanta coisa se usou por pouco tempo, quantas coisas nem se usou e outras que não precisavam ser específicas para o bebê e agora estão nas sacolas para doação.

Não vou fazer uma lista de artigos necessários e desnecessários, porque cada mãe tem um estilo de vida e algo que não me serviu pode ser fundamental para outra.

O que eu quero dizer é que temos que ter cuidado com nossos impulsos consumistas, principalmente quando começamos o enxoval.  Se não em seguida você vai se deparar com a mesma situação que eu: sacolas de coisas inúteis.

A única dica que dou é: Pesquise bem, pense bem e compre em pequena quantidade (tenho tanto algodão na minha casa que acho que até ele completar 18 anos não será necessário comprar).

Deixe para investir no que realmente precisa e vá comprando as coisas conforme o bebê for usando e houver a necessidade.  Não compre antes de experimentar e não se esqueça que nesses primeiros anos, todas as fases passam rápido demais e o que é útil hoje, se torna inútil amanhã.

Luísa Aranha | Jornalista

www.mamaeneura.com


Deixe seu comentário