Maternidade In Box – Laringo traqueomalácia, já ouviu falar?

O nome é feio. Assustador. E a gente fica achando que é algo muito sério e grave. E pode até ser, mas na maioria dos casos só o nome mesmo que é sério.

Laringo traqueomalácia é a denominação dada para a má formação da cartilagem que sustenta a faringe.  É algo bem comum de acontecer em crianças que nascem prematuramente, para os apressadinhos que rompem a bolsa antes e portadores de alguma má formação genética.

No caso dos prematuros e apressadinhos a cartilagem tende a se formar naturalmente até os sete meses.  Alguns podem levar um pouco mais de tempo, mas com um ano está tudo resolvido. Em casos mais sérios, pode ser necessário mais tempo ou até mesmo intervenção cirúrgica. Também é comum usar esse mesmo termo para idosos que acabam tendo essa cartilagem desgastada.

Mas e como a gente sabe que a cartilagem não se formou? Então, eu descobri isso porque meu bebê apitava. Hoje, costumo brincar que ele veio com um defeito de fábrica e com um apito acoplado a garganta. Mas quando ele nasceu e apitava, recogitava, mais que o que eu considerava normal, e ficava muito cansado para mamar foi desesperador.

Todos os pitaqueiros e médicos formados pelo Dr. Google de plantão adoravam fazer suas apostas assustadoras e previsões mirabolantes que me deixavam mais maluca ainda. Fora a quantidade de vezes que ouvi que meu filho sofria de refluxo.  E na realidade ele apenas não tinha tido o tempo necessário, já que se apressou em nascer, para formar essa cartilagem.

A constatação da laringo traqueomalacia é simples. Um exame clínico, associado à descrição dos sintomas, basta para o diagnóstico. Diferente do refluxo, que só pode ser considerado após exame de raio x.

E o que a gente faz para melhorar? Absolutamente nada. Esperamos pacientemente a cartilagem se desenvolver

Então, se o seu filho nascer apitando, não se desespere. O nome é feio, é sério, mas o problema se resolve sozinho e em alguns casos nem chega a ser percebido!

Luísa Aranha do Blog Mamãe Neura


Deixe seu comentário