Inaugurando a Coluna “Maternidade in Box”, por Luísa Aranha

Eu sou uma pessoa extramente curiosa e completamente dependente da virtualidade.  Juntando isso com a minha paixão por pesquisar, descobrir coisas novas e escrever, é que, provavelmente, nasceu (ou aflorou) a jornalista que existe  em mim. Além de jornalista eu sou mãe. Mãe de dois. Uma menina de 16 anos e um garotinho de 8 meses. Transito facilmente entre baladas e fraldas. E vou dos estudos para o vestibular aos primeiros passos como quem anda de trem bala.  Atualmente exerço a maternidade em tempo quase integral. Digo quase, porque tenho um blog e agora tenho a coluna semanal “Maternidade in Box”.  Aqui, todas as sextas, trarei alguma novidade para fomentar o seu mundo com informação e assuntos que envolvam o universo, às vezes, nem tão cor de rosa, da maternidade.

Esse novo mundo que se abre com o Clube MamãeBox pretende exatamente isso. Trazer conteúdo de qualidade juntamente com benefícios aos seus sócios.  E não é o máximo em vez de correr para o Google poder contar com informação de qualidade e com credibilidade? Coisas da pós-modernidade.

Falando em Google, eu me pergunto, diariamente, como antes sobrevivíamos sem ele. Quando a minha primeira filha nasceu, ele não existia. A internet mal começava a dar seus primeiros passos para se tornar a rede que é hoje. O celular também era algo sendo desenvolvido aqui no Brasil. Então qualquer coisa diferente a gente apelava pros palpites, normalmente, sem fundamentos, das tias mais velhas ou corria para uma emergência lotada (infelizmente a lotação das emergências só pioraram).

Agora quando o PH veio ao mundo, tudo é diferente. As teorias são outras, qualquer coisa estranha nós “jogamos” no Google. Os pediatras atendem (ou deveriam) os celulares a qualquer momento. Tudo está mais fácil e a informação ao alcance de um clique. O problema é que, muitas vezes, essa informação, é tão infundada como o conselho das antigas tias. Você digita no buscador os sintomas e vem uma infinidade de doenças sérias que deixam a gente mais nervosa ainda.

A questão é que a modernidade trouxe várias coisas bacanas. Remédios novos, pesquisas médicas novas, teorias novas e tecnologias que facilitam demais a nossa vida. Mas trouxe também novos medos e muita informação sem nenhuma base científica.  Além disso, a modernidade trouxe  outra questão  importante: como ser mãe e trabalhar fora. E agora, surge uma corrente de mulheres que param de trabalhar, para voltar aos tempos antigos, e se dedicar totalmente a maternidade. Isso é ruim? Claro que não.

Isso mostra como estamos versáteis e temos respeitado melhor o direito de escolha de cada uma.  Antigamente, uma mulher que trabalhava fora de casa era vista com maus olhos. Depois passamos uma geração, onde as mulheres que ficavam em casa eram vistas com maus olhos. E agora estamos chegando num momento onde as mulheres e suas famílias podem decidir o que é melhor para eles.

E isso está acontecendo com a questão do parto também. Já notaram que depois da popularização da cesariana agora existe toda uma onda para resgatar o parto normal?

E as novas invenções que facilitam as vidas das mamães? Formas de proteger e melhorar os cuidados com os bebês. Coisas que a modernidade trouxe  para nós e que não tem como negar que ajudam.  E também não podemos esquecer-nos da Galinha Pintadinha e outras animações feitas para bebês.  Se boas ou ruins só o tempo dirá, mas que eles adoram não tem como contestar.

A pós-modernidade está ai. Cheia de novidades e de retrospectivas e resgates do passado. Porque a nossa vida e a história da humanidade se divide em ciclos e fases, assim como o crescimento dos filhos. E é sobre tudo isso e mais um pouco que falaremos toda a semana aqui! Você tem aberto um canal de comunicação conosco. Basta deixar seu comentário, criticando, deixando uma dúvida, sugerindo um assunto ou elogiando (vai que goste, né?!).  Mais importante do que trazer informação é trazer a informação que você precisa!  E assim, vamos fazer a “Maternidade in Box” juntas!

Até a próxima!

Luísa Aranha

Do Blog: http://www.mamaeneura.com

Foto Luísa Aranha

 

 

 

 

 


Deixe seu comentário